Brasileiros estão mais educados digitalmente e aderem mais ao ensino remoto que presencial, afirma especialista

Governo anunciou instalação de 12 mil novos pontos de internet em escolas da rede pública do país nos próximos quatro meses. A iniciativa é parte do Programa WiFi Brasil e pretende conectar todos os estabelecimentos de ensino à rede mundial de computadores até o fim de 2022. Especialista em educação e internet acredita que a população está cada vez mais educada digitalmente.

O fenômeno recente do aumento das compras online para presentes do dia das mães pode ser fruto de uma maior educação digital dos brasileiros oriunda da pandemia. É o que acredita o especialista em educação e internet, com 20 anos de experiência, Alfredo Freitas. Para ele, o ensino do futuro já chegou e já é totalmente híbrido.

O especialista acredita que o hábito de estudar online já está incorporado na rotina de muitos brasileiros. Para ele, é preciso aceitar que o ensino remoto é permanente e não provisório e consolidar a rotina de estudo online como parte do dia-a-dia. Dados recentes comprovam aumento de matrículas em cursos totalmente online no Brasil e no exterior. Pesquisa do INEP revelou que pela primeira vez na história, o número de ingressantes em cursos superiores online superou o de cursos presenciais.

Alfredo Freitas explica que este incremento no tempo de estudo totalmente virtual pode trazer malefícios se não for correto. Veja abaixo algumas dicas do especialista para estudar online da forma correta:

Rotina — É preciso transformar a prática de ensino remoto em um hábito.

Local de estudo — A postura corporal reflete diretamente na aquisição da aprendizagem, portanto, um local adequado, com boa iluminação e ventilação, com mobílias confortáveis garante grande parte do trabalho. O ideal é ter um local exclusivo para estudo, afirma Alfredo Freitas

Equipamentos — Lembre-se que o material de trabalho são os equipamentos eletrônicos, é preciso ter familiaridade. O aluno precisa buscar compreender o uso desses equipamentos e tirar o melhor proveito pedagógico deles.

Dispersão — Procure realizar as atividades escolares no ambiente do estudo. Evite, por exemplo, realizar os exercícios em camas, sofás, e áreas externas que possam provocar dispersão.

Barulho — Evite locais com ruídos constantes, bem como espaços onde ficam televisão ou outros aparelhos que disputem a atenção.

Hora do estudo — Deixa claro a todas as pessoas da casa que aquele é o momento que você não está disponível. É importante deixar claro para si e para as pessoas do convívio que este momento de estudo precisa ser respeitado como se você estivesse em seu ambiente escolar presencial.

Organização — Colocar prateleiras, gavetas e nichos ajuda muito. É importante guardar com cuidado o material e sempre saber onde cada coisa se encontra. Dessa forma, é possível economizar tempo, facilitar a concentração.

* Alfredo Freitas é pós-graduado em ‘Project Management’ pela Sheridan College no Canadá, graduado em Engenharia de Controle e Automação e Mestre em Ciências, Automação e Sistemas, pela Universidade de Brasília. O renomado profissional 20 anos de experiência em Tecnologia e Educação. É atualmente Diretor de Educação e Tecnologia da Ambra University. A Universidade americana é credenciada e tem cursos reconhecidos pelo Florida Department of Education (Departamento de Educação da Flórida) sob o registro CIE-4001. Além disso, a universidade conta com histórico de revalidação de diplomas no Brasil.

Compartilhar No: