Opinião l O ‘boom’ de dupla cidadania no Brasil

Por: Lucas Lima*

O número de brasileiros no exterior chegou a 4,2 milhões, segundo dados recentes do Itamaraty. Em 10 anos, o aumento do número de brasileiros que deixou o país rumo ao exterior foi de 36%. Dados recentes da Polícia Federal confirmam este movimento, mais de 130 mil brasileiros deixaram o país e não voltaram no primeiro semestre deste ano. Neste ano, detectamos um aumento de 40% na procura por novos pedidos de dupla cidadania e mais de 100 ligações diárias na Aquila Oxford Group, a maior consultoria de mobilidade global presente nos EUA, Brasil e Europa.

A maior justificativa dos brasileiros que buscam agora peticionar por uma cidadania estrangeira é ter um plano B, ou seja, uma alternativa para o futuro próximo. Muitos alegam que a depender do cenário que se consolidar na eleição de outubro, querem ter a chance de deixar o Brasil de forma totalmente legalizada. Quem não tem intensão de deixar o país, quer enviar dinheiro ao exterior e proteger seus patrimônios.

Entre os cinco países com mais brasileiros, estão os Estados Unidos, com 1,7 milhão; Portugal, com 276 mil; o Paraguai, com 240 mil; o Reino Unido, com 220 mil; e o Japão, com 211 mil brasileiros. Como especialista em mobilidade global com 15 anos de experiência, nunca vi um movimento tão intenso em busca de uma outra cidadania. Sempre percebemos que há um enorme número de brasileiros que tem direito, mas nunca procurou saber, agora, ao que estamos monitorando, estes brasileiros estão ávidos por informações sobre suas árvores genealógicas.

O movimento reflete uma maior preocupação para entrar pela porta da frente em países da Europa e nos Estados Unidos. Também obter mobilidade e livre trânsito a mais de 180 países, bem como potencializar o fluxo de capitais de um país para outro. Definitivamente os jovens brasileiros estão aderindo massivamente a esta nova estratégia que parece ganhar força e novos adeptos diariamente.

Este momento de incertezas econômicas e políticas no Brasil está sim estimulando um número cada vez maior de brasileiros a buscar uma saída legal para outros países. Nos EUA, a oferta de mais de 130 vistos está fazendo com que as pessoas encontrem uma saída para dolarizar seus patrimônios e manterem-se com um “pé” nos EUA. É uma rota de fuga que deverá capitalizar, em dólar, heranças e investimentos que sairão daqui do Brasil rumo a terra do tio Sam.

Em países da Europa, a oferta de investimentos do governo para empresas e apoio para quem tem passaporte europeu são irrecusáveis. A maioria dos jovens que está em busca de uma dupla cidadania hoje, fez intercâmbio ou visitou por diversas vezes inúmeros outros países. Esta vivência internacional faz com que a maturidade e confiabilidade neste processo de internacionalização seja maior que na geração de seus pais.

No Brasil, há mais de 30 milhões de brasileiros que são descentes de italianos, por exemplo, com a grande maioria estando presente nas regiões sudeste e, principalmente, sul do país. Os três estados brasileiros com maior número de descendentes de imigrantes italianos são: São Paulo com 13 milhões de descendentes (representam 32,5% da população), Paraná: 3,7 milhões de descendentes (representam 37% da população) e Rio Grande do Sul: 3 milhões de descendentes (representam 27% da população).

Números que provam o impacto que uma migração legal em massa de mão de obra e capitais teria para o Brasil. Se contarmos outros três estados da região sudeste (Rio de Janeiro, Minas Gerais e Espírito Santo) que possuem, juntos, quase 4 milhões de descendentes de italiano e a presença de descendentes nas regiões norte, centro-oeste e nordeste do país, que chega a 1 milhão, 400 mil e 150 mil, respectivamente, o número de pessoas autorizadas a conseguir dupla cidadania naquele país é ainda maior.

*Lucas Silva Lima é especialista em mobilidade global com 15 anos de experiência. Palestrante expert em cidadania europeia (italiana e portuguesa) e processos de naturalização no exterior. Presidente da multinacional Aquila Oxford Group – a maior consultoria de mobilidade global. Coordena equipes de migração nos EUA, Brasil, Itália e Portugal. Mais informações: AquilaOxfordGroup
 

Compartilhar No: